GAF

O agronegócio brasileiro precisa falar com o mundo

 

Com a proposta de desvendar a percepção do consumidor sobre o que é o agronegócio brasileiro, o publicitário Nizan Guanaes desafiou o setor a se comunicar neste segundo dia do Global Agribusiness Forum. em São Paulo - SP. Para ele,  já é momento do Brasil se posicionar no mercado mundial como marca. "É preciso colocar uma coisa na cabeça do mundo: o Brasil é igual a comida, assim como comida é igual a Brasil". O mercado de alimentação está passando por uma revolução e, além de se comunicar, o setor precisa ficar atento para onde está indo o desejo do consumidor. 

Impressionado com a repercussão do Global Agribusiness Forum, ele disse que o agronegócio é a única agenda positiva do Brasil. "Se existe um lugar onde vamos dar certo, este lugar é o agronegócio". Lembrou que o setor é a fonte de esperança da economia brasileira, é o mais organizado, com maior desenvolvimento tecnológico, mas que não conversa com o mundo. 

Também provocou a plateia a refletir e a abandonar velhos costumes, como sempre esperar a ajuda do governo. "O Brasil precisa ter um governo pequeno, que cuide das questões sociais e com regras que permitam a gente trabalhar". Ainda relembrou uma velha tendência do agronegócio que precisa ser mudada, que é o setor conversando com o próprio setor.  "Precisamos falar com o mundo. É importante que as pautas tratadas aqui no GAF não fiquem aprisionadas", explicou.

Terminou suas palavras mais uma vez instigando a plateia a refletir: "vocês agem hoje menor do que são. Ajam do tamanho que vocês são. Não se apequenem", finalizou.