GAF

Preço mais baixo continuará estimulando demanda por milho

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Sérgio Bortolozzo, disse na quarta-feira (2) que os preços mais fracos do cereal estão estimulando a demanda e fazendo com que os importadores elevem seus estoques. Ele, no entanto, não vê o mercado saturado.

Bortolozzo, que também preside a Maizall, aliança internacional do milho, enfatizou que as perspectivas de médio e longo prazo para o milho são positivas. Já a restrição de crédito no país é uma preocupação para os produtores. "O acesso (ao crédito) está um pouco atrasado", afirmou, durante o lançamento do Global Agribusiness Forum 2016, em São Paulo.

Segundo Bortolozzo, setembro será um mês decisivo para o crédito rural, pois a temporada de plantio já se iniciou. A Abramilho planeja realizar um novo levantamento a respeito dos recursos financeiros até o fim do mês, para determinar o nível de acesso dos produtores aos financiamentos. O presidente da Abramilho estima que pelo menos um quinto dos insumos para a produção precisa ser adquirido.

Em relação ao mercado externo, Bortolozzo acredita que os preços mais baixos do milho em 2015 devem impulsionar a demanda pelo grão no médio e longo prazo. "Os países estão se estocando com os preços baixos, mas logicamente haverá uma procura maior por esse produto. Assim que normalizar a situação (dos preços), os países estarão estocados, mas não deixarão de comprar, porque o preço baixo terá estimulado o consumo", prevê.

Nessa linha, o representante da Abramilho ressalta que a desaceleração econômica da China não deve ser de grande preocupação. "Todos estão assustados com o ajuste cambial (do yuan), mas a China não deixará de crescer 6% ao ano. Além disso, outros países da Ásia, como a Índia, e nações africanas estão crescendo, de modo que existe uma compensação", diz.

Fonte: http://revistacanavieiros.com.br/conteudo/preco-mais-baixo-continuara-estimulando-demanda-por-milho