GAF

Presidente Temer recebe manifesto de apoio do agronegócio

Entidades do agronegócio, de um total de 46, entregaram na solenidade de abertura do Global Agribusiness Forum (GAF), na manhã desta segunda-feira (04), ao presidente da República Michel Temer, presente à cerimônia, manifesto de apoio e confiança ao seu governo. Organizado pela DATAGRO, o GAF, maior congresso do agronegócio mundial, acontece entre hoje e amanhã em São Paulo (SP).

Além do presidente Temer, a solenidade de abertura contou com as presenças do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi; do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho; dos governadores Geraldo Alckmin (SP) e Pedro Taques (MT); do deputado-federal e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Marcos Montes; entre outras autoridades.

No documento, as lideranças do agronegócio assinalam que o presidente Temer tem a legitimidade constitucional e competência para reativar a economia, bem como para dar o arranque às reformas estruturais que o País precisa. No manifesto, as entidades acentuam a importância de o Brasil avançar cada vez mais no comércio exterior como política estratégica fundamental para recolocar o país na trilha do crescimento.

Em seu pronunciamento, o presidente do Conselho do GAF, Cesario Ramalho da Silva, pontuou que fazer mais com menos é a especialidade da agropecuária brasileira, que ano a ano cresce em produtividade, sendo exemplo de eficiência para demais setores da economia e para o agro de outros países.

“Somos grandes na produção de larga escala, e temos todo o potencial para também sermos relevantes nas cadeias globais de abastecimento, com produtos de maior valor agregado.”

Desta forma, Ramalho afirmou, ainda, que o agronegócio brasileiro está pronto para fazer muito mais, e que nesta missão deposita total confiança na nova administração.

Por sua vez, o governador Alckmin ressaltou, que mais uma vez, o agronegócio está salvando a lavoura. A solenidade contou ainda com homenagens ao presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão; e ao governador do Mato Grosso, Pedro Taques.