GAF

Promover a inclusão tecnológica do pequeno agricultor é desafio mundial, dizem especialistas

Promover a inclusão tecnológica dos pequenos agricultores é o grande desafio de inovação para a cadeia produtiva do agronegócio, em nível mundial. Foi o que destacaram especialistas internacionais no tema, reunidos durante o painel “O papel do agronegócio no desenvolvimento econômico”, realizado na manhã desta terça-feira (05), como parte da programação do Global Agribusiness Forum (GAF). Organizado pela DATAGRO, o GAF, maior congresso do agronegócio mundial, se encerra nesta terça, em São Paulo (SP).

Segundo José Maria Sumpsi, presidente da Fundação Triptolemos, vinculada à universidade de Madri, e que atua na área de estudos e parcerias agrícolas, existe, obviamente, um conjunto significativo de tecnologias dedicadas ao aumento da produtividade no campo, mas estas soluções precisam ser entregues aos pequenos produtores rurais. “Há um grande gargalo educacional, de levar informação para o pequeno agricultor”, afirmou Sumpsi, acrescentando, ainda, que, de acordo com seus cálculos, metade do alimento produzido no mundo é cultivado por pequenos agricultores. “Por isso, políticas de estímulo a eles são tão importantes.”

Por sua vez, de acordo com Itamar Glazer, diretor do Volcani Center, centro de pesquisa ligado ao Ministério da Agricultura de Israel, o desafio de se levar conhecimento em inovação, assistência técnica e novas tecnologias é, ainda, mais urgente para os pequenos agricultores dos países emergentes, das nações em desenvolvimento. Segundo Glazer, o verdadeiro papel do agronegócio no desenvolvimento sustentável tem que ter como proposta conciliar de maneira equilibrada os interesses de produtores, consumidores e do planeta.

Na avaliação de José Manuel Silva Rodriguez, ex-diretor da área agrícola da Comissão Europeia, informação e educação são insumos fundamentais para o produtor rural, ainda mais para o pequeno. De acordo com Rodriguez, novas conexões precisam ser ativadas entre as universidades, os institutos, os centros de pesquisa, ou seja, por quem produz Ciência e inovação e os pequenos agricultores. Segundo ele, esta ligação tem nas associações e cooperativas, por exemplo, importantes parceiros. O relevante, pontuou Rodriguez, é que a inclusão tecnológica do pequeno produtor rural é responsabilidade do setor privado, para que não fique sob a alçada dos governos o protagonismo deste esforço.