GAF

Confiança do consumidor sobre uso da Ciência na agricultura passa por comunicação

Investir em comunicação e educação são medidas fundamentais para se criar confiança no consumidor acerca do uso da Ciência aplicada à agricultura, especialmente no que diz respeito a tecnologias desenvolvidas para proteção de cultivos e ao uso da biotecnologia. Este foi um dos destaques da palestra do CEO mundial da Corteva, Rajan Gajaria, nesta segunda-feira (23), durante o Global Agribusiness Forum 2018, em São Paulo (SP). “Informar, comunicar, educar é o caminho para se quebrar o medo do novo no consumidor.”

Braço de proteção de cultivos resultante da fusão entre as multinacionais Dow e Dupont, a Corteva começará a operar como companhia independente em junho de 2019.

Em sua apresentação, o executivo listou três fatores que nortearão desafios e oportunidades para o desenvolvimento agrícola nos próximos anos: avanços tecnológicos, diálogo entre os diversos agentes do setor e globalização.

Segundo Gajaria, a tecnologia avança de maneira significativa no agro, sendo as soluções digitais a nova fronteira. “São as novidades em máquinas, big data, nanotecnologia, defensivos, drones, robôs, etc.” De acordo com o executivo, o desafio é ampliar o acesso dos pequenos produtores a estas tecnologias.

No tocante ao segundo fator, Gajaria disse que o diálogo entre governos, setor privado, produtores, ONGs é imprescindível para o esclarecimento dos benefícios dos avanços tecnológicos, bem como para integração e inclusão tecnológica em nível mundial.

Ademais, o executivo citou a globalização como o terceiro fator de impacto para o desenvolvimento agrícola nos próximos anos. Na avaliação de Gajaria, consolida-se um cenário mundial, no qual, de um lado a demanda cresce em um determinado grupo de países, e do outro a produção avança em outro grupo distinto de nações. “O ponto é promover a integração.”

Gajaria ressaltou, ainda, que o estímulo à agricultura na África passa por políticas públicas de incentivo à atividade rural no continente. Moderador do painel, o presidente da DATAGRO, Plínio Nastari, enfatizou que a integração entre agricultura para produção de alimentos e energética é outro ponto que merece atenção nos próximos anos.